Agentes acham mais armas e presos são trancafiados em Alcaçuz; vídeo

No VNT do G1 RN - 02/02/2017
Operação feita nos pavilhões 1, 2 e 3 de Alcaçuz fez recontagem de presos e revista  (Foto: G1/RN)
Operação feita nos pavilhões 1, 2 e 3 de Alcaçuz fez recontagem de presos e revista (Foto: G1/RN)
Mais de 600 armas artesanais – como machados, facões e lanças feitas com barras e chapas de ferro arrancadas de celas – além de aparelhos celulares e algumas porções de drogas foram apreendidos durante a ação de retomada dos pavilhões 1, 2 e 3 de Alcaçuz, que aconteceu ao longo da manhã e tarde desta quarta-feira (1º). Foi em Alcaçuz, maior presídio do Rio Grande do Norte, onde pelos menos 26 detentos foram mortos durante confrontos envolvendo membros de duas facções criminosas.

O G1 teve acesso exclusivo a vídeos (veja acima) que mostram o material apreendido e parte do trabalho realizado pelos agentes penitenciários do Grupo de Operações Especiais (GOE) – unidade de elite da Secretaria de Justiça e da Cidadania (Sejuc). Pelas imagens é possível ver agentes fazendo a recontagem de detentos e os presos sendo trancafiados em um dos pavilhões.
Segundo Leonardo Alves, diretor do GOE, a  operação feita nesta quarta foi uma determinação do secretário da Sejuc. “Cumprimos com sucesso nossa missão”, disse o agente.

Durante o motim, que oconteceu entre os dias 14 e 27 de janeiro, os presos circularam livremente dentro da penitenciária. Muitos subiram nos telhados e fizeram uso de telefones celulares a céu aberto. Alcaçuz tem 11 torres de bloqueadores de sinal de celular, mas boa parte delas foi danificada.
Imagem mostra parte do material apreendido nesta quarta-feira em Alcaçuz (Foto: G1/RN)
Imagem mostra parte do material apreendido nesta quarta-feira em Alcaçuz (Foto: G1/RN)

Totalmente dominada
Titular da Sejuc, Wallber Virgolino disse ao G1 que agora Alcaçuz está totalmente dominada. "Retomamos o controle da penitenciária. No pavilhão 5, o primeiro onde fizemos a intervenção, os presos já estão novamente atrás das grades. Algumas celas ainda precisam de reformas, mas todos os internos estão encarcerados", ressaltou. "No pavilhão 4, que foi invadido pelos presos do pavilhão 5, não há mais nenhum preso", acrescentou.

Já nos pavilhões 1, 2 e 3 (que passaram por revistas nesta quarta), Virgolino disse que as celas ainda estão sem grades, e que este serviço de reforma será realizado já nos próximos dias, mas garantiu que todos os detentos estão trancafiados dentro dos pavilhões. "Não saem mais", afirmou.
Share on Google Plus

About VNT Online

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.