Recent

Postagens mais visitadas

Navigation

Operação da PF combate grupo suspeito do roubos a bancos em Goianinha, no RN e na PB

No VNT do G1 RN - 16 JUL 2019
PF faz operação conta grupo suspeito de assaltos a bancos e comércios no Rio Grande do Norte e na Paraíba — Foto: PF/Divulgação

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (16), uma operação para desarticular um grupo criminoso suspeito de praticar crimes de furto qualificado contra as agências da Caixa Econômica Federal em Goianinha, no RN, e Banco do Brasil em João Pessoa, capital paraibana.

Além das agências bancárias, a quadrilha também agia contra estabelecimentos como lojas, supermercados e casas de câmbio. Nos últimos 11 meses pelo menos, segundo a PF, foram pelo menos 10 ocorrências delituosas.

A Operação Especialista, como a ação foi denominada, conta com cerca de 40 policiais federais, que cumprem seis mandados de busca e apreensão e sete de prisão expedidos pela 2ª Vara da Justiça Federal do Rio Grande do Norte, nas cidades de Natal, Parnamirim e Cuiabá (MT).

Conforme a PF, os suspeitos devem responder pelos crimes de furto multiplamente qualificado, associação criminosa, receptação majorada, uso de documento falso e organização criminosa.

'Especialista'
Segundo a corporação, o nome da operação deriva do fato de que os furtos eram realizados mediante o emprego de ferramentas e técnicas especializadas na abertura de cofres.
PF cumpre mandados de prisão e de busca e apreensão contra grupo suspeito de assaltos a bancos, em Natal, Parnamirim e Cuiabá (MT) — Foto: PF/Divulgação
PF cumpre mandados de prisão e de busca e apreensão contra grupo suspeito de assaltos a bancos, em Natal, Parnamirim e Cuiabá (MT) — Foto: PF/Divulgação
Share
Banner

VNT Online

Post A Comment:

0 comments:

OS COMENTÁRIOS POSTADOS AQUI SÃO DE EXCLUSIVA RESPONSABILIDADE DO AUTOR DO COMENTÁRIO.

PARA FAZER COMENTÁRIOS NO VNT:

Respeitar o outro, não conter insultos, agressões, ofensas e baixarias, caso contrário não serão aceitos.

Não usar nomes de terceiros para emitir opiniões, o uso indevido configura crime de falsidade ideológica.