Recent

Postagens mais visitadas

Navigation

Suspeito de participação em morte de PM da reserva na Grande Natal é preso

No VNT do G1 RN - 05 JUL 2019
Homem preso por suspeita de participação na morte do PM da reserva Plínio Sales foi levado para a Delegacia de Macaíba — Foto: Acson Freitas/Inter TV Cabugi

Um homem de 21 anos foi preso nesta quinta-feira (4) pela Polícia Militar suspeito de ter participação na morte do PM da reserva Plínio Sales. O tenente foi assassinado nesta quarta (3), em uma tentativa de assalto entre Natal e Macaíba.

De acordo com a polícia, o homem estava em uma casa no bairro Golandim, em São Gonçalo do Amarante, na Região Metropolitana. Depois de preso, ele foi levado para a Delegacia de Macaíba, onde, segundo o delegado Luciano Augusto, confessou informalmente que participou do assalto que resultou na morte do PM da reserva.

A Polícia Civil apurou que três homens estavam no carro que interceptou o veículo do tenente Plínio. Um deles morreu durante o confronto com o policial e os outros dois fugiram. Com a prisão desta quarta-feira, os investigadores agora procuram pelo terceiro suspeito. Quem tiver informações sobre o paradeiro do assaltante pode comunicar à polícia, anonimamente, pelo telefone 181.

Morto em assalto
O tenente da reserva da Polícia Militar morreu após entrar em confronto com criminosos durante uma tentativa de assalto Rua Fabrício Pedroza, uma estrada de terra. A via liga Natal a Macaíba, e é uma rota comumente utilizada na região. Fica entre o bairro Guarapes, na Zona Oeste da capital, e a cidade vizinha.


De acordo com a PM, o tenente Plínio Sales seguia com três familiares em seu carro, quando foi interceptado pelos bandidos, que estavam em outro veículo.
Share
Banner

VNT Online

Post A Comment:

0 comments:

OS COMENTÁRIOS POSTADOS AQUI SÃO DE EXCLUSIVA RESPONSABILIDADE DO AUTOR DO COMENTÁRIO.

PARA FAZER COMENTÁRIOS NO VNT:

Respeitar o outro, não conter insultos, agressões, ofensas e baixarias, caso contrário não serão aceitos.

Não usar nomes de terceiros para emitir opiniões, o uso indevido configura crime de falsidade ideológica.