Itep monta 'operação de guerra' para reconhecer corpos de presos no RN

No VNT do G1 RN - 15/01/2017
Polícia faz revistde presos (Foto: Adriano Abreu/Tribuna do Norte)
Polícia faz revista de presos (Foto: Adriano Abreu/Tribuna do Norte)
O Instituto de Técnico-Científico de Polícia (Itep) está montando uma 'operação de guerra' para identificação dos corpos dos presos mortos durante a rebelião que durou pouco mais de 14h na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte. Uma carreta frigorífica foi contratada para armazenar os corpos e legistas do Ceará e da Paraíba vão auxiliar no processo de identificação.

De acordo com o Itep, o órgão está preparado para receber 100 ou mais corpos, se for o caso. No entanto, uma fonte do governo informou que até a publicação desta matéria pelo menos 25 mortes foram confirmadas. Oficialmente, o governo do RN diz que há 'mais de dez mortos'.
Os corpos serão levados da penitneciária para o Itep nos rabecões e nos carros de perícia. "Estamos com todo o aparato pronto para receber os corpos e trabalhar na identificação", informou Thiago Tadeu, chefe de gabinete do Itep.

A rebelião na Penitenciária Estadual de Alcaçuz acabou após 14h20. Os detentos, que se rebelaram às 17h deste sábado (14) (horário local, 18h em Brasília), se renderam às 7h20 deste domingo (15) após a Tropa de Choque da Polícia Militar entrar nos pavilhões. Segundo a Secretaria de Segurança, não houve troca de tiros.

A rebelião começou com uma briga entre presos dos pavilhões 4 e 5. Segundo o governo, a briga estava restrita aos dois pavilhões. O pavilhão 5 é o presídio Rogério Coutinho Madruga, que fica anexo a Alcaçuz. Há separação entre presos de facções criminosas entre os dois presídios.
Share on Google Plus

About vnt online

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.