Suspeito de atirar em bombeiro na Grande Natal é morto em confronto com a PM

No VNT do G1 RN - 04 OUT 2017

Um dos homens suspeitos de participar do assalto que terminou com um sodado do Corpo de Bombeiros do RN baleado na cabeça trocou tiros com a polícia e morreu. O confronto aconteceu no final da manhã desta quarta-feira (4) em São Gonçalo do Amarante, cidade da Grande Natal.

De acordo com a polícia, outro homem foi preso durante o tiroteio e um terceiro fugiu. Porém, nenhum dos dois teria relação com o atentado contra o soldado Alberto Rodrigues, que permanece internado em coma induzido.

Segundo o capitão Ivson Lima de Araújo, comandante do policiamento militar em São Gonçalo do Amarante, a PM chegou aos criminosos depois de uma denúncia. “Sobre um carro roubado. Verificou-se a denúncia e se chegou aos três”, afirmou ao G1.

O morto foi identificado como Widenesson Alves de Oliveira, de 25 anos. Um homem que conduzia o veículo em que ele estava foi preso. Ainda de acordo com o capitão Ivson, este suspeito devia drogas a um traficante e foi obrigado a dirigir o carro. Já o suposto traficante, fugiu após a chegada da polícia.

O assalto
O soldado Alberto Aroldo Rodrigues tem 36 anos. Ele segue internado em estado gravíssimo e instável. Ele foi baleado na cabeça durante um assalto que aconteceu na manhã desta terça-feira (3) no conjunto Cidade das Flores, em São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal.

Apesar dos esforços, os médicos não conseguiram tirar todos os fragmentos de bala que estão na cabeça do paciente, que está em coma induzido. Ele sofreu dois tiros.

Segundo a PM, o assalto aconteceu por volta das 7h, momento em que o soldado levou um amigo para ver um terreno. No local, os dois acabaram surpreendidos por três homens armados que se aproximaram e anunciaram o assalto.

“A informação que recebemos é que os criminosos perguntaram se ele era policial. Ele negou, dizendo que não, que era bombeiro. Mas, mesmo assim, atiraram na cabeça dele”, relatou o cabo Roberto Campos.

Dalchem Viana, que preside a Associação dos Bombeiros Militares do RN, acrescentou que o bombeiro sempre andava armado. E que, por esta razão, suspeita-se que os criminosos devem ter acreditado que Alberto era policial. “Acho que levaram a arma dele”, observou. Já o carro do militar, um Fiat, foi deixado para trás.
Share on Google Plus

About vnt online

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.