Em entrevista, pedreiro diz que assediou Iasmin e que a matou com cabo de aço; veja vídeo

No VNT do ABR 2018
Marcondes Gomes da Silva, de 45 anos, confessou ter matado a menina Iasmin Lorena, de 12 anos (Foto: Reprodução/Vídeo/Polícia Civil)
Marcondes Gomes da Silva, de 45 anos, confessou ter matado a menina Iasmin Lorena, de 12 anos (Foto: Reprodução/Vídeo/Polícia Civil)

Em vídeo divulgado pela Polícia Civil na tarde desta sexta-feira (27), o pedreiro Marcondes Gomes da Silva, de 45 anos, confessou que usou o cabo de aço de uma bicicleta, que encontrou no chão, para matar a menina Iasmin Lorena de Araújo, de 12 anos, que estava desaparecida desde o dia 28 de março deste ano.

No depoimento, o homem confirmou que agiu sozinho. Ele disse que passou pela menina na esquina da rua onde ambos moravam, na Redinha, Zona Norte de Natal, por volta das 13h. O pedreiro seguia para a casa onde estava trabalhando e onde o crime aconteceu. Na versão dele, a vítima parou no imóvel para conversar com eles. Marcondes morava vizinho à família de Iasmin,

Marcondes disse que matou a adolescente depois que ela se negou a ter relação sexual com ele. Veja o vídeo abaixo.

Para a delegada Dulcinéia Costa, titular da Delegacia Especializada em Defesa da Criança e do Adolescente (DCA) e responsável pelas investigações, o homem agiu com "muita frieza".

Segundo a Polícia Civil, o caso está elucidado. Os investigadores ainda aguardam o resultado de um exame de DNA que vai comprovar se o corpo encontrado na última terça-feira (24) enterrado na casa onde o homem realizava a obra era o de Iasmin Lorena. Segundo a polícia, a roupa e outros elementos coincidem.


No depoimento, o pedreiro também afirmou que abriu uma cova e enterrou a menina no imóvel, na mesma rua do bairro da Redinha, Zona Norte da capital, onde Iasmin morava e foi vista pela última vez.

Marcondes foi preso pela Polícia Militar nesta quinta-feira (26) em uma praia nas proximidades de Touros no Litoral Potiguar. Ele tinha um mandado em aberto.

A delegada Dulcinéia Costa também negou veementemente a participação da mãe da menina, Ingrid de Araújo, na morte. Nesta quinta-feira (26), um boato sobre isso se espalhou em várias redes sociais da cidade. Para a delegada, não há qualquer indício. Conforme a delegada, o pedreiro disse que a mãe tinha participação no crime logo que foi preso, porém, no depoimento, confessou que agiu sozinho.
Share on Google Plus

About VNT Online

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.