Sargento da PM suspeito de matar a própria mulher em Natal se entrega à polícia

No VNT do G1 RN - 19 MAI 2018
Rosivânia Maria da Silva tinha 36 anos (Foto: Arquivo da Família)
Rosivânia Maria da Silva tinha 36 anos (Foto: Arquivo da Família)


O sargento PM Ney Jeferson, suspeito de matar a tiros a própria mulher em Natal, se entregou à polícia na tarde desta sexta-feira (18). A manicure Rosivânia Maria da Silva tinha 36 anos e foi assassinada na quarta-feira (16), dentro da casa onde morava com o marido, no bairro Quintas, Zona Oeste da capital potiguar.

Ney Jeferson se apresentou na 2ª Companhia do 9º Batalhão da PM e foi encaminhado à Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), onde prestou depoimento à delegada que apura o caso. À polícia, ele confessou ter matado Rosivânia da Silva.

Em seguida, o sargento foi levado para o Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) para realização do exame de corpo de delito e, depois, foi para o Comando Geral da Polícia Militar, onde permanece detido, segundo a assessoria de imprensa da corporação. De acordo com a Polícia Civil, havia contra ele um mandado de prisão temporária em aberto.

Em relatório, os policiais que atenderam a ocorrência na quarta (16) disseram que um vizinho foi quem chamou a polícia, e que afirmou ter ouvido pelo menos três disparos. Em seguida, também relatou ter ouvido o policial dizer, ao fugir em uma motocicleta, que estava indo atrás de outra pessoa para “terminar o serviço”. O vizinho relatou, ainda, que viu todo o ocorrido pela janela de sua residência.

Por fim, os policiais contam que a mulher ainda chegou a ser atendida por socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas que ela não resistiu e morreu a caminho do hospital.

'Homem violento'
No velório de Rosivânia, o pai dela, Rivaldo da Silva, disse que o sargento já havia agredido sua filha outras vezes. “É um cara violento”, afirma. Ele contou também que Rosivânia chegou a denunciar o companheiro na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), porém retirou a queixa depois que o sargento a ameaçou. “Ela passou dois anos separada dele, depois voltou. Ele já deu coronhada na cabeça dela uma vez com uma pistola”, relata o pai da manicure.
Share on Google Plus

About VNT Online

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.