Recent

Postagens mais visitadas

Navigation

Operação apreende 357 quilos de lagostas pescadas ilegalmente na praia de Baía Formosa, no RN

No VNT do G1 RN - 13 AGO 2019
Operação do Ibama e da PRF encontrou lagostas comercializadas de forma ilegal no RN — Foto: PRF/Divulgação

Uma operação apreendeu 357 quilos de lagostas pescadas de maneira ilegal em Baía Formosa, no litoral sul do Rio Grande do Norte, nesta segunda-feira (12). A ação foi do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em parceira com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O responsável pela empresa que realizava a compra das lagostas foi preso. Além dos pescados, foram apreendidas 89 redes caçoeiras, cada uma com aproximadamente 80 metros de comprimento. De acordo com as corporações, as caçoeiras são redes de nylon e o seu uso para a pesca de lagosta é proibido.

Além da prisão e das apreensões, o Ibama aplicou uma multa de R$ 83,4 mil à empresa que estava comercializando a lagosta sem licença ambiental.

Segundo os órgãos, a lei de crimes ambientais aponta que os transgressores ficam sujeitos a uma pena de detenção de um a três anos ou multa, ou ambas as penas cumulativamente.

O homem foi encaminhado com os equipamentos de pesca e as lagostas à Superintendência da Polícia Federal em Natal.
Lagostas foram pescadas de maneira ilegal no litoral potiguar, segundo o Ibama e a PRF — Foto: PRF/Divulgação
Lagostas foram pescadas de maneira ilegal no litoral potiguar, segundo o Ibama e a PRF — Foto: PRF/Divulgação

Lagostas pescadas ilegalmente foram apreendidas durante operação nesta segunda-feira (12) em Baía Formosa, no litoral potiguar — Foto: PRF/Divulgação
Lagostas pescadas ilegalmente foram apreendidas durante operação nesta segunda-feira (12) em Baía Formosa, no litoral potiguar — Foto: PRF/Divulgação
Share
Banner

VNT Online

Post A Comment:

0 comments:

OS COMENTÁRIOS POSTADOS AQUI SÃO DE EXCLUSIVA RESPONSABILIDADE DO AUTOR DO COMENTÁRIO.

PARA FAZER COMENTÁRIOS NO VNT:

Respeitar o outro, não conter insultos, agressões, ofensas e baixarias, caso contrário não serão aceitos.

Não usar nomes de terceiros para emitir opiniões, o uso indevido configura crime de falsidade ideológica.