Recent

Postagens mais visitadas

Navigation

Jovem é preso no município de Jundiá, e confessa morte de mototaxista em Parnamirim, RN

No VNT do G1 RN - 23 OUT 2019
Mototaxista foi morto na noite da sexta-feira 4 de outubro em Parnamirim. — Foto: Acson Freitas/Inter TV Cabugi

Um jovem de 18 anos, preso nesta terça-feira (22), confessou o assassinato do mototaxista José Antonio de Oliveira, de 50 anos, segundo informou a Polícia Civil. O crime aconteceu no início de outubro em Parnamirim, na região metropolitana de Natal.

Ao delegado Luiz Lucena, da 1ª Delegacia de Parnamirim, o suspeito afirmou que cometeu o crime de forma planejada, por causa de uma briga em uma festa. Porém os investigadores ainda acreditam que o caso foi de latrocínio - ou seja, roubo seguido de morte. Na versão policial, ele queria tomar a moto da vítima.

O mototaxista foi assassinado a facadas na noite do dia 4 de outubro no município de Parnamirim. De acordo com a polícia, o passageiro que ele levava anunciou um assalto e, após esfaquear a vítima, fugiu do local com a moto de José Antônio, uma cinquenta cilindradas.

O crime aconteceu na Rua Presidente Artur Bernardes, no bairro Santa Tereza, o mesmo em que José Antônio morava com a família há cerca de 30 anos. Ele deixou esposa, dois filhos e dois netos.

Segundo a polícia, o jovem também é suspeito de tentativa de assalto a outro mototaxista da cidade. Ele foi preso no final da manhã de terça-feira (22) no município de Jundiá, onde estava escondido na casa de sua avó. Após a prisão, ele confessou o assassinato.

Um outro homem de 23 anos já havia sido detido como suspeito do crime, mas após os depoimentos, a participação dele foi descartada pela polícia.

O crime gerou comoção na cidade, especialmente entre os colegas do mototaxista, que protestaram pedindo mais segurança.

Share
Banner

VNT Online

Post A Comment:

0 comments:

OS COMENTÁRIOS POSTADOS AQUI SÃO DE EXCLUSIVA RESPONSABILIDADE DO AUTOR DO COMENTÁRIO.

PARA FAZER COMENTÁRIOS NO VNT:

Respeitar o outro, não conter insultos, agressões, ofensas e baixarias, caso contrário não serão aceitos.

Não usar nomes de terceiros para emitir opiniões, o uso indevido configura crime de falsidade ideológica.