Recent

Postagens mais visitadas

Navigation

Irmãos acusados de matar bebê em Mossoró são condenados a 51 anos de prisão no RN

No VNT do G1RN - 05 MAR 2020
Julgamento aconteceu em Mossoró — Foto: Iara Nóbrega/Inter TV Costa Branca

Os irmãos Geovani de Melo Nogueira e Jefferson de Melo Nogueira foram condenados nesta quarta-feira (4), em júri popular, a 51 anos de reclusão pela morte do bebê Anthony Calleb Bezerra da Silva, de 1 ano e meio. O crime aconteceu em novembro de 2018 em Mossoró, na região Oeste potiguar, e os pais do menino também foram baleados, mas sobreviveram.

Geovani e Jefferson foram condenados pelo homicídio duplamente qualificado da criança, pela tentativa de homicídio do pai e da mãe de Anthony Calleb, por corrupção de menor, por porte ilegal de arma e por tráfico de drogas. Ao todo, foram seis condenações.

Durante as investigações da Polícia Civil, os irmãos confessaram o crime e disseram que o alvo era o pai do menino, por conta de uma guerra de facções criminosas.

O crime aconteceu no dia 4 de novembro de 2018. Anthony Calleb estava com o pai e a mãe em uma motocicleta quando eles foram atacados por homens armados. A criança morreu com um tiro na cabeça. Os pais também foram baleados e a mãe chegou a ficar internada em estado grave no Hospital Regional Tarcísio Maia. O crime aconteceu por volta das 20h30, no bairro Malvinas, em frente a uma praça.


Os dois irmãos foram presos na tarde do dia seguinte ao crime pela Polícia Rodoviária Federal. Eles viajavam em direção a Natal em um carro de lotação, quando foram presos na cidade de Lajes, na região Central do estado. Eles estavam com a arma que possivelmente foi a usada no crime, munições e maconha.
Share
Banner

VNT Online

Post A Comment:

0 comments:

OS COMENTÁRIOS POSTADOS AQUI SÃO DE EXCLUSIVA RESPONSABILIDADE DO AUTOR DO COMENTÁRIO.

PARA FAZER COMENTÁRIOS NO VNT:

Respeitar o outro, não conter insultos, agressões, ofensas e baixarias, caso contrário não serão aceitos.

Não usar nomes de terceiros para emitir opiniões, o uso indevido configura crime de falsidade ideológica.