Recent

Postagens mais visitadas

Navigation

CCJ aprova projeto de Kleber Rodrigues que inclui leite de cabra e carne de caprinos e ouvinos na merenda escolar

 Da Assecom Dep. Kleber Rodrigues - 22 SET 2020


Os deputados da Comissão de Constituição, Justiça e Redação aprovaram por unanimidade o Projeto de Lei Nº 216/2020, apresentado pelo deputado Kleber Rodrigues(PL), que inclui o leite de cabra e a carne de caprino e ouvino na merenda escolar das escolas da rede pública do RN.

O projeto tem como objetivo oferecer aos alunos no um incremento nutricional ao cardápio da merenda escolar e ao mesmo tempo estimular a cadeia produtiva do RN. Um dos artigos prevê que o leite de cabra e as carnes de caprino e ovino deverão ser comprados preferencialmente de produtores, associações e cooperativas com sede no Estado do Rio Grande do Norte.

“A aprovação do projeto na CCJ vai estimular toda uma cadeia produtiva beneficiando principalmente as famílias de baixa renda que criam animais no interior do Estado. Eles poderão vender a produção para o governo do Estado”, disse Kleber.

A iniciativa de Kleber Rodrigues foi elogiada pelos parlamentares. “Matéria importante para setor específico para a economia do RN. Eu sou um defensor do consumo do leite do cabra pelo potencial nutritivo”, disse o deputado Francisco do PT.

O deputado Hermano Marais(PSB) também destacou a importância da iniciativa. “ É um projeto que vai oferecer mais uma alternativa para nossa economia. Parabenizo o deputado kleber pela inciativa que vai garantir um potencial nutritivo para nossas crianças e ao mesmo tempo a compra da produção “, destacou.

O projeto prevê que o leite de cabra será ofertado aos alunos, pelo menos, duas vezes por semana. Já as carnes de caprino ou de ovino deverão ser ofertadas, pelo menos, uma vez por semana.





Share
Banner

VNT Online

Post A Comment:

0 comments:

OS COMENTÁRIOS POSTADOS AQUI SÃO DE EXCLUSIVA RESPONSABILIDADE DO AUTOR DO COMENTÁRIO.

PARA FAZER COMENTÁRIOS NO VNT:

Respeitar o outro, não conter insultos, agressões, ofensas e baixarias, caso contrário não serão aceitos.

Não usar nomes de terceiros para emitir opiniões, o uso indevido configura crime de falsidade ideológica.