Recent

Postagens mais visitadas

Navigation

Mototaxista é executado com tiros na cabeça na Grande Natal

Do G1RN - 04 FEV 2021
Mototaxista foi assassinado na frente da casa da namorada no distrito de Estivas, em Extremoz, região metropolitana de Natal. — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi


Um mototaxista foi assassinado a tiros, na noite desta quarta-feira (3), em frente à casa da namorada no distrito de Estivas, em Extremoz, região metropolitana de Natal. Inicialmente, a Polícia Civil trata o caso como execução.

A vítima foi identificada como Gustavo Queiroz Elias, de 30 anos. A namorada dele, que estava na cozinha, se escondeu ao ouvir os disparos e não foi atingida. Outra pessoa que estava com ele do lado de fora do imóvel também foi poupada.

Segundo testemunhas, quatro homens encapuzados chegaram ao local do crime em um carro preto e pararam o veículo. Eles encontraram a vítima e um amigo bebendo e fazendo um aterro na frente da residência e atiraram várias vezes na cabeça de Gustavo, poupando o amigo dele.

"Não sei porque aconteceu, porque eu não estava em casa, só soube a notícia. Ele tinha passado 10 meses preso, estava trabalhando. Ai agora aconteceu isso", afirmou a mãe da vítima, Maria José.

Policiais militares, peritos criminais e investigadores da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) estiveram no local da ocorrência para colher informações que possam elucidar o caso. Para a Polícia Civil, outro assassinato pode ter relação com o crime.

"Foi uma execução. Todos os disparos foram na cabeça e a outra pessoa foi poupada. Pode ter relação com outro crime, mas só o delegado responsável vai poder aprofundar essa investigação", afirmou a delegada de plantão da DHPP, Jamille Pinheiro.

Share
Banner

VNT Online

Post A Comment:

0 comments:

OS COMENTÁRIOS POSTADOS AQUI SÃO DE EXCLUSIVA RESPONSABILIDADE DO AUTOR DO COMENTÁRIO.

PARA FAZER COMENTÁRIOS NO VNT:

Respeitar o outro, não conter insultos, agressões, ofensas e baixarias, caso contrário não serão aceitos.

Não usar nomes de terceiros para emitir opiniões, o uso indevido configura crime de falsidade ideológica.