Nova Cruz, RN sofre com luto à espera do corpo de Gil para velório e enterro

No VNT do G1 RN - 04/12/2016
RN - velório Gil Chapecoense Nova Cruz (Foto: Fred Carvalho/GloboEsporte.com)
Moradores aguardam a chegada do corpo de Gil para o velório em Nova Cruz (Foto: Fred Carvalho/GloboEsporte.com)
O dia 4 de dezembro de 2016 ficará marcado na história da cidade de Nova Cruz, município que fica a 93 km de Natal. A população está em luto com a perda do filho mais ilustre, o volante Gil, que vestia as cores da Chapecoense. Vítima do trágico acidente aéreo com a delegação catarinense, que viaja a Medellín, para o primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional, o potiguar José Gildeixon Clemente de Paiva será lembrado por todos.

Após as homenagens em Chapecó, na Arena Condá, neste sábado, o corpo de Gil chegou a Natal às 13h30 deste domingo, em um voo particular. O velório em Nova Cruz será realizado no ginásio Giovanna de Azevedo Targino. Depois de um momento reservado para a família, o local será aberto para o público prestar as últimas homenagens. O enterro está previsto para o fim da tarde.
O jogador morreu aos 29 anos, deixando a mulher, Valdécia, e duas filhas: Lívia, de 5 anos, e Gabriela, de 3. As três moram em Chapecó e foram a Nova Cruz para dar o último adeus ao jogador.
RN - velório Gil Chapecoense Nova Cruz (Foto: Luiz Henrique/GloboEsporte.com)
Velório de Gil será realizado em Nova Cruz, no interior do RN (Foto: Luiz Henrique/GloboEsporte.com)
Último contato
Como de costume, Gil telefonou para os pais para pedir a bênção antes da viagem para a Colômbia. O contato foi feito na noite da última segunda-feira. Dona Nina, mãe do jogador, estava dormindo quando o filho ligou. Seu Geraldo, pai do jogador, disse que iria acordá-la, mas Gil recusou e pediu para deixar a mãe descansando. Foi o último contato antes da fatídica tragédia.

- A dor maior da minha mãe é não ter falado com Gil naquele dia. Ela estava dormindo e ele pediu para não acordá-la. É isso que dói mais nela - conta Geraldo Madureira, irmão do jogador, que também foi jogador de futebol.

O acidente de Gil chocou a família. Durante toda a semana, os pais do jogador passaram mal e precisaram ser medicados no hospital da cidade. A chegada de familiares e amigos amenizou a tristeza, mas não o sofrimento de uma família inteira. Ex-companheiros de Gil na época do Coritiba, Robinho e Rafinha estão em Nova Cruz para prestar condolências.

- Estava todo mundo muito mal, só ontem (sábado) que as nossas tias e o Robinho e Rafinha, que tinham jogado com Gil no Coritiba, vieram para cá e as coisas começaram se acalmar, porque todo mundo sentou e desabafou. Lembramos das coisas boas, das histórias do Robinho e do Rafinha com ele no Coritiba. Mamãe contou o que era Gil para eles. Foi muito emocionante - completou Madureira.

Na noite da última quarta-feira, data do primeiro jogo entre Atlético Nacional e Chapecoense, uma festa havia sido programada para acontecer na rua onde os pais de Gil moram, em Nova Cruz. Na frente da casa, um telão com cadeiras seria montado para os moradores assistirem a partida. Fogos de artifícios foram comprados e a uma grande comemoração estava prevista, independentemente do resultado do confronto. A alegria em ver o  jogador em campo era suficiente para deixar orgulhosos os moradores da pequena cidade potiguar.
Share on Google Plus

About vnt online

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.