Corpo carbonizado dentro de carro em Arez, RN pode ser de motorista de Uber desaparecida

No VNT do G1 RN - 15 AGO 2017
Suetânia Santos do Nascimento desapareceu na sexta-feira (11) em Parnamirim (Foto: Arquivo da família)
Suetânia Santos do Nascimento desapareceu na sexta-feira (11) em Parnamirim (Foto: Arquivo da família)
A família da motorista de Uber Suetânia Santos do Nascimento, de 29 anos, desaparecida desde a sexta-feira (11), acredita ser dela o corpo carbonizado encontrado dentro de um carro queimado em um canavial na zona rural de Arez, região metropolitana de Natal. "Era ela mesmo", diz a irmã, Ana Paula Nascimento. O veículo foi identificado por meio do número do chassi.

Suetânia foi vista pela última vez no bairro Emaús, em Parnamirim, na Grande Natal, quado saiu para trabalhar. De acordo com a família, a principal suspeita é de que ela tenha sido morta por um homem com quem teria acabado um relacionamento amoroso há cerca de dois meses.

O carro, modelo March, de cor branca, que pertence à mulher, foi encontrado na plantação em uma plantação de cana-de-açúcar. De acordo com informações apuradas pela polícia com moradores da região, ele teria sido queimado na região ainda na noite de sexta.

A família diz que a motorista tinha avisado que iria resolver uma pendência com o ex-namorado. "Ela mandou uma mensagem dizendo que se acontecesse alguma coisa, estava com ele", conta a irmã.

Uma amiga também recebeu uma mensagem de texto, onde Suetânia informou que estava passando por uma churrascaria e um posto de combustíveis na estrada. A polícia foi até esses estabelecimentos para checar as imagens das câmeras de segurança.

De acordo com a família, Suetânia já tinha sido ameaçada pelo homem, com quem manteve um relacionamento extraconjugal por cerca de 10 anos. Ele é casado. A irmã não sabe se ela já tinha um novo relacionamento.

Dor que não acaba
A família é natural de Serra Caiada, na região Agreste potiguar. Suetânia morava sozinha em Natal. Na capital potiguar, trabalhou por 11 anos com venda de carros, em duas concessionárias. Demitida do último emprego há cerca de seis meses, começou a trabalhar como motorista do Uber.

"Era uma pessoa boa, trabalhadora, que conseguiu seu apartamento, seu carro. Não passava um dia sem entrar em contato com a família. Não perdia uma oportunidade de juntar todo mundo", lembra a irmã Ana Paula.

De acordo com ela, a família toda está sofrendo com a situação e espera que a polícia encontre o responsável pela morte da mulher. "Tão jovem e uma morte trágica, como essa. Só Deus, e mais ninguém, pode nos ajudar. É uma dor que não passa. A gente nunca vai apagar", lamenta.
Corpo foi encontrado dentro de carro queimado em canavial na Grande Natal (Foto: Divulgação/ PM)
Corpo foi encontrado dentro de carro queimado em canavial na Grande Natal (Foto: Divulgação/ PM)

Share on Google Plus

About vnt online

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.