Recent

Postagens mais visitadas

Navigation

Marília Mendonça faz live no YouTube com sofrência sertaneja durante quarentena

Do G1 - 09 ABR 2020
Marília Mendonça canta em live no YouTube — Foto: Reprodução/YouTube/Marília Mendonça

Marília Mendonça realizou sua live no YouTube nesta quarta-feira (8) com quase três horas e meia de show. A apresentação chegou a ter mais de 3 milhões de acessos na primeira hora. Veja a live de Marília Mendonça no YouTube.

A transmissão fez parte de um projeto que busca doações para o Mesa Brasil Sesc, uma rede nacional de bancos de alimentos contra a fome, e para a compra de testes rápidos para o novo coronavírus.

Durante a live, a cantora avisou que já tinham conseguido mais de 225 toneladas de alimentos, duas toneladas de produtos de limpeza, 250 quilos de pão de queijo, 3.600 litros de refrigerante, além de materiais de construção em doações.

Mesmo assim, Marília lembrou que esta não é a única forma de ajudar a evitar a pandemia. "Se você não pode contribuir, de qualquer maneira você pode. É só ficar em casa."

Com mais de um milhão de espectadores antes de começar, a transmissão teve problemas no início e algumas músicas não foram ouvidas pelos fãs.

A primeira canção que foi transmitida melhor foi "Bebi liguei". O repertório foi sugerido nas redes sociais com a hashtag #MariliaTocaEssa nas redes.

"Chamando todos os cornos! A Rainha da Sofrência vai dar uma força para sua quarentena ser mais legal. Um show exclusivo pra você direto da casa da Marília", dizia a descrição do evento.

A apresentação contou com uma equipe de oito profissionais, inclusive dois que farão tradução em libras. Este é o maior live realizado por Marília, depois de algumas transmissões mais simples no Instagram.

Para limitar o número de envolvidos, o acompanhamento musical foi feito através de playback (gravação dos instrumentos sem a voz). A própria cantora explicou.

"Estou respeitando todas as recomendações do Ministério da Saúde, por isso estamos só com a quantidade necessária de pessoas para levar essa live até vocês."

Apesar disso, o show ainda teve uma produção mais modesta que algumas de seus colegas de gênero, como Gusttavo Lima ou Jorge e Mateus.

Transmitida da casa de Marília, a apresentação permitiu até que a cantora trocasse os sapatos por chinelos. "Coloquei esse só para começar bonitinha", brincou ela. "Não foca na minha unha, porque eu não faço a unha tem uns dois meses."

Com uma hora, a cantora emendou sucessos de sofrência de alguns anos atrás em sequência. Teve "Não casa não", "Entre quatro paredes" e "Infiel".

Durante "De quem é a culpa", a cantora admitiu que se perdeu e pediu para desligarem a música. Ela brincou que ficou emocionada e lembrou: "inclusive essa letra é minha".

Marília recomeçou depois de buscar a canção no celular. "Agora eu vou acertar, quer ver?", falou, ao chegar no momento em que tinha errado.

Depois de grande parte do show sentada, Marília levantou para cantar "Folgado" e "Meu cupido é gari" depois de uma certa resistência. "Poxa, eu já estou suando sentada."

Depois de lembrar mais uma vez que estava seguindo as recomendações de isolamento social, tanto na live quanto em casa, a cantora agradeceu um recado enviado pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Durante coletiva de tarde, ele desejou uma boa live a Marília, disse que era fã de seu trabalho e agradeceu por ela estar ajudando a evitar aglomerações.

Antes de cantar "Transplante", que gravou com Bruno e Marrone, ela contou que conheceu seu namorado, Murilo Huff, pai de seu filho, por causa da canção.

Para finalizar a sofrência, entre brincadeiras e piadas, Marília emendou hits mais recentes, como "Ciumeira" e "Todo mundo vai sofrer".
Share
Banner

VNT Online

Post A Comment:

0 comments:

OS COMENTÁRIOS POSTADOS AQUI SÃO DE EXCLUSIVA RESPONSABILIDADE DO AUTOR DO COMENTÁRIO.

PARA FAZER COMENTÁRIOS NO VNT:

Respeitar o outro, não conter insultos, agressões, ofensas e baixarias, caso contrário não serão aceitos.

Não usar nomes de terceiros para emitir opiniões, o uso indevido configura crime de falsidade ideológica.