Recent

Postagens mais visitadas

Navigation

Jovem de Várzea, RN se forma em medicina pela UFPB e agradece a sua mãe, por ter sido base, sustento e fortaleza

Do VNT - 09 FEV 2021
O médico Rafael Rodrigo e sua mãe Josélia Oliveira - Foto: Reprodução/Instagram


O jovem da cidade de Várzea, no Agreste do Rio Grande do Norte, Rafael Rodrigo, aos 23 anos, é oficialmente  médico pela Universidade Federal da Paraíba - UFPB.  Rafael Rodrigo é um orgulho para toda sua família principalmente para sua mãe, ex empregada doméstica e atual professora, Josélia Oliveira a quem ele agradece por ter sido base, sustento e fortaleza desde que saiu de sua cidade do interior do Rio Grande do Norte para estudar na capital da Paraíba. 

Nas redes sociais Rafael Rodrigo publicou nesta terça-feira (9) um texto emocionante em que expressa toda sua gratidão e de luta do menino que venceu ao saiu do interior para estudar na capital:

"Vai ter filho de ex-empregada doméstica médico sim. Antes de qualquer coisa gostaria de agradecer à minha mãe, por ter sido base, sustento e fortaleza desde que sai de uma cidade de 5 mil habitantes para estudar medicina em uma capital. Os sacrifícios desse itinerário foram muitos. E sou extremamente orgulhoso do caminho que tracei para estar aqui hoje, como primeiro médico da minha família.

Os últimos 6 anos da minha vida foram em função desse momento que estou vivendo agora. Quem vê esse sorriso agora, não pode imaginar as coisas que precisei deixar para trás nesse percurso. Não é fácil fazer uma graduação longe de casa. Os amigos mais próximos sabem as intempéries emocionais, financeiras e a dificuldades impostas pela pandemia nos últimos meses, justamente nesse final do curso. Porém, me formar enquanto médico nesse momento histórico ressignifica minha missão nesse ofício, não só como profissional, mas enquanto ser humano."

Share
Banner

VNT Online

Post A Comment:

0 comments:

OS COMENTÁRIOS POSTADOS AQUI SÃO DE EXCLUSIVA RESPONSABILIDADE DO AUTOR DO COMENTÁRIO.

PARA FAZER COMENTÁRIOS NO VNT:

Respeitar o outro, não conter insultos, agressões, ofensas e baixarias, caso contrário não serão aceitos.

Não usar nomes de terceiros para emitir opiniões, o uso indevido configura crime de falsidade ideológica.